A história de vida do presidente e fundador do Condor Super Center, Pedro Joanir Zonta, está registrada no livro “Um Paranaense”, do jornalista Nilson Monteiro, lançado recentemente. Como a história do empresário paranaense foi construída junto com a da sua empresa, além de contar fatos desde a infância de Zonta, a biografia também reúne todos os detalhes da trajetória dos 40 anos do Condor, e como uma pequena loja de bairro com 110m² e cinco funcionários se transformou na empresa que hoje tem 41 lojas espalhadas por 15 cidades do estado do Paraná e mais de dez mil colaboradores,

Além de ser um empreendedor de sucesso, Zonta é dono de uma humildade e carisma inigualável e apaixonado pela sua criação: o Condor. Um dos importantes fatos de sua trajetória é de quando ele se recusou a vender a sua empresa para as multinacionais que chegavam no país na década de 90 e que acabaram comprando algumas redes regionais. Ele conta que estava em uma encruzilhada, mas que ao invés de aceitar as ofertas dos grandes players, preferiu modernizar as suas lojas e traçar metas de expansão.

Para poder crescer, Zonta tinha que encontrar um sócio ou pegar financiamentos. Ele optou pela segunda opção e, assim, o Condor lançava um voo sem limites para se tornar uma das maiores redes supermercadistas do Brasil. Muitos foram os percalços encontrados  mas sua determinação, visão para os negócios e a sua liderança nata, fizeram ele superar um a um e construir uma equipe de profissionais leais e comprometidos com a empresa.

O autor do livro destaca que Zonta é a alma do seu negócio e que o Condor é um prolongamento de si próprio. Monteiro também ressalta as características que moldaram o empreendedor e que fazem dele mais do que um empresário. “Constatei o DNA de um cidadão forjado na pobreza e na simplicidade, cujos valores são respeitados e ultrapassam o mundo empresarial, onde ele é vencedor”.

Segundo o próprio biografado, a história dele e a do Condor se confundem e não há como separar um do outro. “O Condor é um organismo vivo que passa por estações e, tal qual uma frondosa árvore, vive momentos de escassez de chuva, ventos, tempestades e até furacões, mas que na época certa sempre floresce e nos dá maravilhosos frutos”.

Com uma infância humilde,  Zonta já demonstrava ter aptidão para os negócios desde criança. Ele sempre procurava alternativas para ajudar no sustento da família e uma das soluções encontradas por ele foi vender as ameixas que davam no terreno de sua casa. Quando chegava o inverno, ele vendia os pinhões que encontrava no chão das redondezas.

Com essas e muitas outras histórias, o livro, que já é a segunda biografia de Joanir Zonta, é resultado de vários sábados calorosos em que se reuniu com o autor Nilson Monteiro. “Foi muito gostoso relembrar coisas tão marcantes em minha vida, em que meus pais, irmãos, antepassados, amigos e também os adversários puderam ser descritos de forma que qualquer um tenha acesso e que possa ser usado como exemplo de como fazer as coisas ou até mesmo de como não fazer”, conta Zonta.

Além das entrevistas com o empresário, Monteiro também conversou com os familiares, amigos e colegas de trabalho dele.

O último capítulo do livro trata sobre a sucessão da empresa, que segundo Zonta já está sendo preparada com consultorias, conversas com outras empresas e também em cursos, feitos por ele e pelos três filhos.

Para o leitor se sentir ainda mais próximo da trajetória de Zonta, a obra conta com fotos do acervo da família, além de imagens da estrutura e da equipe de diretores da rede.

O livro “Um paranaense” tem uma tiragem de 30 mil exemplares, que serão distribuídos para os mais de 10 mil colaboradores da rede, imprensa, fornecedores, autoridades, entidades ligadas ao setor, bibliotecas públicas do estado e instituições de ensino públicas e privadas do Paraná e as principais do país que tenham cursos voltados para o setor. Também pode ser conferido e baixado no site da empresa www.condor.com.br.