Sabor do Cerrado

Edição 8 Revista Condor Viver

Sabor do Cerrado

<< Mais Revista Condor

Tags: . Escrito em , por Midia Digital Condor.

Revista Condor – Edição 8

  • 1

Uma viagem entre as culturas que compõem a gastronomia da região Centro-Oeste. Os aromas do cerrado, ainda desconhecidos por muitos brasileiros, suas frutas e ingredientes, que dão gosto e sabor aos pratos típicos, fazem desta uma gastronomia de muita personalidade.

Arquitetura a céu aberto

Conjunto arquitetônico e urbanístico, com projetos de Oscar Niemeyer e Lúcio Costa, Brasília nasceu com beleza e o sonho promissor de uma civilização próspera. Com suas curvas, atrai turistas curiosos pelo berço político brasileiro. Mais que isso, a capital federal tem um misto de culturas enraizado em sua gastronomia. Iguarias nordestinas, como a saborosa carne de sol e o feijão verde, se misturam com o arroz com pequi (fruta típica do cerrado, como o baru, o jenipapo e a cagaita, também utilizados na gastronomia brasiliense). Vale a pena conferir os belíssimos restaurantes localizados no Pontão do Lago Sul e na orla da Ponte JK.

Atenas de Goiás

Centro da cultura goiana, Pirenópolis encanta por seus casarões centenários e suas ruas revestidas com Pedra-de-Pirenópolis, usada para decoração, revestimentos e pisos da cidade. A duas horas de Brasília, encontra-se a apelidada “Atenas de Goiás”, às margens do Rio das Almas. A cidade atrai turistas o ano inteiro em busca das belíssimas cachoeiras. Quem vai a Pirenópolis não pode deixar de experimentar os pratos típicos goianos, como a famosa galinhada com pequi, o empadão goiano e a deliciosa pamonha, que pode ser servida frita ou cozida.

Cidade de pedra

Impressionante por seus paredões de arenito vermelho-alaranjado e porta de entrada para o Parque Nacional, a Chapada dos Guimarães tem como cartão-postal a imensa cachoeira Véu da Noiva. Ainda para os amantes das belezas naturais, a caverna Aroe Jari, com seus impressionantes 10 metros de altura, abriga a lagoa azul, localizada a 46 km da Chapada. Vale ressaltar que o acesso é feito através de guias e mergulhos são proibidos, mas a vista encantadora faz valer a pequena viagem. Quando chegar à Chapada, não deixe de saborear a famosa Maria Izabel, iguaria matogrossense que leva arroz e carne seca, juntamente com o tradicional guaraná ralado.

Disney ecológica

Encantadora por suas águas cristalinas e sua variedade de peixes coloridos, a cidade de Bonito é o paraíso dos aventureiros. Baseada no ecoturismo, o contato com a natureza está presente em todos os roteiros. Quem passa por lá não pode deixar de conhecer o Abismo Anhumas – uma descida de 72 metros em rapel – e os cardumes do aquário natural. Além da natureza exuberante de Bonito, as iguarias sul-matogrossenses não podem passar batidas. Os diversificados pratos com peixes, o churrasco pantaneiro servido com mandioca, a paçoca e o famoso tererê são ótimas pedidas para saborear e se refrescar.

Você também vai gostar

Deixe seu comentário