Menu Cultural – Irmãs em Sintonia

Edição 6 Revista Condor Viver

Menu Cultural – Irmãs em Sintonia

<< Mais Revista Condor

Tags: . Escrito em , por Blog Condor.

Revista Condor – Edição 6

  • 0

À frente da loja virtual A Mi Manera, as curitibanas Stefania e Isadora Magalhães dão vazão à criatividade e às diversas paixões que têm em comum.

”É difícil dar o primeiro passo e bancar a sua ideia, no sentido de assumir o que você ama e quer fazer, e colocar em prática a sua leitura do mundo, com seu trabalho. O risco é grande, mas acreditamos que é a única maneira de se criar algo realmente bacana” – Stefania Magalhães

“Nossos clientes adoram viajar, ver o mundo de outras formas, são antenados, gostam de moda, música e decoração. São pessoas que valorizam o diferente, o caráter autoral, o ritmo dinâmico, porém menos acelerado” – Isadora Magalhães

Uma delas é formada em publicidade e propaganda. A outra escolheu comércio exterior. Apesar de terem começado as trajetórias profissionais em direções bem diferentes, as irmãs curitibanas Stefania e Isadora Magalhães resolveram unir seus caminhos, estimuladas por uma série de interesses em comum. Apaixonadas por arte, música, moda, viagens e “coisas legais que fogem do comum”, as duas são sócias e donas da A Mi Manera Store, uma loja virtual de acessórios, camisetas e artigos decorativos. Todos os produtos à venda carregam um pouco da filosofia da marca, que defende o conceito de pessoas menos parecidas entre si e que valorizem suas particularidades.

Quando a A Mi Manera foi inaugurada, o catálogo era composto principalmente de itens produzidos por outras marcas. Hoje, mais de dois anos após o lançamento, no entanto, boa parte dos produtos da loja são de criação autoral, feitos para a coleção Wanderlust (termo que, em português, significa um forte e desejo constante de viajar e estar em movimento). Tudo a ver com uma marca que faz questão de respirar novidades e trazer ao mercado sua visão de mundo transformada em criatividade.

Em entrevista à Revista Condor, as duas irmãs falaram sobre o início do projeto, as vantagens de trabalhar em família e até sobre como funciona o processo criativo que desemboca nos novos produtos colocados na loja.

Revista Condor: Como surgiu a ideia de abrir uma loja juntas?

Stefania Magalhães: A marca foi lançada no final de 2012, com a inauguração do nosso e-commerce <www.amimanerastore.com.br>. Sempre tivemos vontade de abrir uma loja nossa, que reunisse num mesmo espaço uma miscelânea de coisas bacanas, de segmentos diferentes: moda, decoração e lifestyle.

RC: Antes de inaugurar a A Mi Manera, com o que vocês trabalhavam? Continuam com outros projetos além da loja?

Isadora Magalhães: Antes da A Mi Manera, eu trabalhava numa multinacional, no setor de comércio exterior. A Stefania era diretora de arte numa agência de propaganda. Meses antes de lançarmos a loja, deixamos nossos empregos antigos para nos dedicarmos em tempo integral à A Mi Manera. Atualmente eu ainda trabalho com comércio exterior.

RC: Existe algum plano de abrir uma loja física?

IM: Antes de abrirmos a loja virtual, percorremos esse caminho de se a loja seria física ou não, e optamos pelo e-commerce. É um cenário bem desafiador, que está em constante mudança. A loja física tem um charme grande, mas é algo em que ainda não pensamos.

RC: Quais os momentos mais importantes pelos quais a loja passou desde a inauguração?

SM: Os primeiros meses foram bem marcantes. A gente vibrava a cada novo cliente e nova venda, o que continua acontecendo, na verdade. Mas o momento mais importante e desafiador acreditamos que está sendo agora, com o lançamento da nossa coleção autoral, a Wanderlust.

RC: Qual a principal dificuldade em trabalhar com itens autorais e com uma identidade própria tão marcante?

SM: É difícil dar o primeiro passo e bancar a sua ideia, no sentido de assumir o que você ama e quer fazer, e colocar em prática a sua leitura do mundo, com seu trabalho. O risco é grande, mas acreditamos que é a única maneira de se criar algo realmente bacana.

RC: Como é o catálogo de vocês e a divisão entre produtos autorais e os desenvolvidos por outras marcas?

IM: Até a nossa coleção passada, vendíamos produtos de marcas diferentes e eram poucos de produção autoral. Tínhamos o objetivo de ir aumento aos poucos, e com a coleção Wanderlust veio um novo posicionamento, em que enxugamos o nosso mix e todos os produtos novos são de produção própria: camisetas, bolsas, almofadas e pôsteres. Mas ainda temos na loja alguns produtos de parceiros, que valorizamos bastante.

RC: Qual é o principal público-alvo que vocês buscam com os seus produtos?

IM: Nossos clientes adoram viajar, ver o mundo de outras formas, são antenados, gostam de moda, música e decoração. São pessoas que valorizam o diferente, o caráter autoral, o ritmo dinâmico, porém menos acelerado.

RC: Como é o processo criativo de vocês no desenvolvimento de novos produtos?

SM: Começamos pesquisando bastante o mercado e as tendências. A partir desse estudo, escolhemos no que queremos apostar e definimos o conceito da coleção. O nome da nossa coleção atual é Wanderlust, que em português significa um desejo forte e constante de viajar, de estar em movimento. Escolhemos esse termo por representar perfeitamente a fase de transição que estamos vivendo.

RC: Quais vocês diriam que são as principais referências e inspirações da marca?

SM:  Nossas referências passam por designers, ilustradores e artistas de áreas diversas. Somos apaixonadas por cor, estampa, arte. Tudo de legal que a gente vê, vive e que nos chama a atenção termina virando inspiração.

RC: De que maneira fato da A Mi Manera ser uma loja “em família” contribui para o trabalho de vocês?

IM:  Nos conhecemos desde sempre e temos muita liberdade uma com a outra, o que mantém o canal de comunicação sempre aberto. Temos formações profissionais diferentes, o que faz contribuirmos com visões complementares para o negócio. E, o mais importante: compartilhamos os mesmos valores.

Você também vai gostar

Deixe seu comentário